A História da Bicicleta no Brasil foi marcada por grandes episódios de muita garra e superação, além de outros menos dignos que envolveram a criação de algumas dificuldades para um ou mais concorrentes, geralmente pequenas fábricas que produziam boas bicicletas.

Na verdade, sempre fora uma atitude corriqueira de duas empresas na busca da monopolização do mercado de bicicletas, que perdurou durante algumas décadas do século passado. O fatídico “gran finale” que fechou esse período foi o encerramento das atividades da “Bicicletas Peugeot do Brasil S/A”, cujo complexo industrial estava instalado na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Essa é uma história que um dia precisa ser contada por inteiro.

Por agora, vamos falar de um modelo de bicicleta bastante curioso que é esta Monark Futura, cujo quadro, bem como as alterações feitas na estrutura da parte traseira para adaptação dos paralamas e o bagageiro, ambos redesenhados, guardam muita semelhança com a “Turismo 3, feminina” da Peugeot.

O sistema de freios dianteiro e traseiro, inclusive quanto à forma de passagem dos cabos, são exatamente iguais. A única diferença que destoa do conjunto é o movimento central tipo monobloco, que nas Peugeots são de rosca interna de 34,7 mm; e o pedivela, fixado no eixo através de chavetas. Os aros também são na mesma medida para pneus 26 X 1.1/2 X 1.3/4. Para complementar as semelhanças, o guidão é do tipo reto e aberto nas extremidades; modelito tipicamente francês. Outra mudança – pouco criativa e esteticamente feia – foi a inversão do cachimbo do selim, cujo parafuso de fixação do selim (travamento) está virado para frente. Apesar das poucas diferenças e muitas semelhanças com as francesas, esta Monark Futura é uma bicicleta muito agradável de pedalar.

Presente de amigo

Eu ganhei esta bicicleta do saudoso amigo Roque Vanzo, do Ciclo Vanzo, que ficava na Rua Roma, Bairro da Lapa, em São Paulo. Eu a usei durante muito tempo como minha principal bicicleta para o dia a dia. Certa vez, ainda não existia o Código de Trânsito Brasileiro (Lei n° 9.503 de 23 de setembro de 1997), eu necessitava ir até o centro da cidade. Como morava no Bairro de Vila Pompeia, portanto, próximo à estação do Metrô da Barra Funda, fui até o terminal com ela, lá deixando a “Futura” acorrentada em uma das plataformas externas da estação e relativamente próxima a uma escada de acesso. Quando voltei à bicicleta havia sumido e só encontrei a corrente e o cadeado quebrado.

Indignado, logo pensei: “roubaram minha bike”. Fui rapidinho até a sala de administração do terminal prestar a minha queixa. Depois de me ouvirem, os homens de preto do metrô me falaram que nas estações do Metropolitano não era permitido o estacionamento de bicicletas, razão pela qual eles haviam confiscado temporariamente a minha bicicleta. Achei aquela atitude muito desrespeitosa e arbitrária, porém, não falei nada para evitar qualquer retaliação. Ainda guardo até hoje em algum lugar um recibo de entrega que recebi da Cia. Do Metrô. Eram outros tempos!

Ficha Técnica

  • Bicicleta Monark Futura, modelo feminino, aro 26, ano 1981.
  • Origem: Brasil.
  • Condição: Original/reformada. Acervo: MuBi.