Bernardo Sampaio, fisioterapeuta e diretor clínico do ITC Vertebral e do Instituto Trata, unidades de Guarulhos

A prática de pedalar traz vários benefícios para a saúde física e mental, seja a bike utilizada para lazer, locomoção ou como instrumento de esporte. O ciclismo praticado de forma regular ou diária previne o ganho de peso, combate e ajuda a evitar uma série de problemas de saúde, incluindo doenças cardíacas, câncer e diabetes.

Além desses benefícios, mais óbvios, posso citar vários outros. Nas crianças e adolescentes, por exemplo, a prática ajuda na melhoria da saúde óssea, composição corporal, aptidão muscular, resistência cardiorrespiratória; nos adultos, melhora da circulação sanguínea, prevenção de peso, menor risco de morte precoce por AVC, diabetes, pressão arterial.

E estes benefícios podem ser obtidos tanto para aqueles que preferem pedalar ao ar livre, quanto na ergométrica. As duas opções são validas e o ideal é utilizar aquela que mais se encaixa no seu estilo; o que não pode é ficar parado!

© EnvatoElements

Para quem não gosta de monotonia, pedalar ao ar livre é a melhor alternativa. A atividade possibilita observar e conhecer várias paisagens, encontrar pessoas diferentes e ainda é uma ótima opção de transporte. É o exemplo de exercício que permite equilibrar prazer à atividade e que pode trazer um grande alívio depois de um árduo dia de trabalho, por exemplo.

Uma das grandes vantagens de andar de bike ao ar livre é a boa quantidade de calorias gasta, o ciclismo é uma ótima ferramenta para o emagrecimento. Além de ser um exercício gratuito, promove uma sensação de liberdade, pedalar ao ar livre durante um dia ensolarado, por exemplo, ajuda na produção de vitamina D no nosso organismo.

© EnvatoElements

Já a bicicleta “indoor” é uma boa opção que atende bem uma variedade grande de necessidades, ela é mais segura e estável, reduz a incidência de lesões e consegue dar a chance para aquelas pessoas que nunca aprenderam a andar de bike, sem riscos de cair. Por estarem, na maioria das vezes, em um ambiente climatizado, possibilita que a atividade seja feita em qualquer condição climática. Além de garantir uma queima grande de calorias através de spinning; ideal para aqueles que buscam mais intensidade e performance, enquanto a ergométrica é utilizada mais em series de cardio, na musculação. A opção da “indoor” é ótima também para aqueles que não tiverem tempo de concluir o treino fora de casa, e colocam a bike no rolo para cumprir a atividade.

Ou seja, a minha dica é que você pratique a pedalada das duas formas e veja qual combina mais com o seu perfil e aproveite a prática!

© EnvatoElements

BERNARDO SAMPAIO 

Fisioterapeuta pela PUC-Campinas (Crefito: 125.811-F), diretor clínico do ITC Vertebral e do Instituto Trata, unidades de Guarulhos, Bernardo Sampaio é também professor do curso de pós graduação em fisioterapia traumato-ortopédica do Instituto Imparare e do curso de fisioterapia do Centro Universitário ENIAC (Guarulhos) e também leciona como convidado nos cursos de pós-graduação na Santa Casa de São Paulo. Possui experiência em fisioterapia ortopédica, traumatologia e esporte; e especialização em fisioterapia músculo esquelética, aprimoramento em membro superior e oncologia ortopédica pela Santa Casa de São Paulo. Mestrando em ciências da saúde pela faculdade de ciências médicas da santa casa de são Paulo. Saiba mais em: www.institutotrata.com.br e www.itcvertebral.com.br