A estrutura faz o trajeto de Daejon a Sejong e combina ciclovia com energia renovável.

São 32 quilômetros de canteiro convertidos em ciclovia coberta por painéis solares, que servem para proteger os ciclistas do sol e, ao mesmo tempo, gerar energia de forma sustentável.

“A Coreia do Sul é um país com um pouco mais da população que a Espanha (50 milhões), mas cinco vezes menor e com sérios problemas de trânsito. É, de fato, o nono país do mundo em emissões de CO2”, explica Atahualpa Amerise, correspondente da Agência EFE em Seul. “É por isso que são promovidas infraestruturas para bicicletas, numa tentativa de reduzir o tráfego urbano e tentar habituar as pessoas ao ciclismo.

© Divulgação

“Além disso, muitos coreanos passam horas no escritório por causa dessa cultura de trabalho extrema, característica do país. Isso significa que as autoridades também buscam promover o esporte nos finais de semana como forma de manter a saúde da população”, diz Amerise.

A ciclovia coreana já se tornou um modelo em todo o mundo. E alguns meios de comunicação do ocidente já a descreveram como “a rodovia mais verde que existe”.

Maravilhas do ciclismo: rodovia para ciclistas movida a energia solar da Coreia do Sul
© Divulgação