Jyoti Kumari tem quinze anos, mora na Índia e, como muitos cidadãos deste imenso país, está morrendo de fome. Além disso, o problema aumentou com a chegada do COVID-19. Eles pararam de receber renda e os problemas econômicos aumentaram significativamente.

Para escapar da pobreza, Jyoti pedalou 1.200 quilômetros. A jornada começou em Gurugram, onde ele residia temporariamente com o pai, e se mudou para Darbhanga, a cidade onde ele normalmente vive. A turnê foi realizada em sete dias intensos em que, além disso, ela teve que transportar o pai, que estava com a perna quebrada e não estava em condições físicas para poder pedalar.

No final de fevereiro, Jyoti se mudou para Gurungram com a esposa e o irmão de seu pai, para cuidar dele. Depois de alguns meses, a madrasta e o irmão voltaram para casa e ela ficou para continuar cuidando dele. O problema veio com o confinamento: eles não tinham renda e, portanto, não podiam pagar o lugar onde estavam dormindo. Então eles decidiram comprar uma bicicleta com todo o dinheiro que restava para poder ir para casa.

Uma história de melhoria em que, mais uma vez, a bicicleta desempenha um papel muito importante. Agora, a federação indiana de ciclismo quer contratá-la para fazer parte da equipe.

Texto: Laura Rincón

Fonte da matéria