Cicloturismo no estado de Minas Gerais

O cicloturismo no estado de Minas Gerais vem se tornando referência no Brasil, a atividade ganha cada vez mais espaço nas intenções de viagem do turista mineiro e daquele que tem o estado como destino. Não é por menos, Minas Gerais conta com uma mistura muito bem certeira entre montanhas, cidades históricas, a cozinha mineira e, claro, a hospitalidade. Mesmo o público que nunca foi tão adepto dos pedais tem olhado de forma mais interessada para Minas quando o assunto é a prática do cicloturismo. A pandemia decorrente do coronavírus fez “explodir” a procura por roteiros cicloturísticos por lá.

Cicloaventura em Minas Gerais. Foto: Gil Sotero

Valorização da identidade

À primeira vista, uma das diferenças entre Minas e os demais estados da Federação é que lá a identidade cultural é valorizada e mostrada de forma orgulhosa aos turistas. Recentemente, o estado ganhou a Rota Túnel Rio Abaeté, com cerca de 70 quilômetros, entre os municípios de Tiros, Matutina e Arapuá, na região do Alto Paranaíba, passando por estradas vicinais, túneis de mineração cavados no leito do rio Abaeté, e pela comunidade quilombola Maria Preta, além de locais onde é possível experimentar a culinária mineira.

Cicloturismo no estado de Minas Gerais. Foto: Gil Sotero

Divulgação e fomento do cicloturismo no estado de Minas Gerais

Assim, entendendo que a bicicleta deixou de ser apenas um veículo de locomoção para passar a ser um importante instrumento de promoção do turismo, nos segmentos de ecoturismo, rural e aventura, a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) de Minas Gerais promove no próximo dia 10 de novembro, às 10h, em seu perfil no Youtube, um webinar para fomentar a atividade em todo o Estado. O Lobi estará presente, confira a programação completa:

  • 10h00 – Abertura/Boas-vindas – Gil Sotero (Mediador Secult);
  • 10h05 – Secretário ou Milena (fala institucional sobre as ações que a Secult tem desenvolvido no âmbito do cicloturismo no estado de Minas Gerais/Reviva Turismo);
  • 10h15 – Gil Cunha – Abeta (fala institucional sobre a vida ao ar livre, turismo de aventura e natureza, cicloturismo e os potenciais para Minas Gerais);
  • 10h25 – Clodoaldo – IGR Serras Verdes do Sul de Minas (fala sobre o “Circuito Serras Verdes de Cicloturismo” e o desenvolvimento do cicloturismo de forma regional);
  • 10h35 – Receptivo Sauá Ecoturismo (fala sobre o processo de concepção e implementação de roteiros de cicloturismo, perfil dos turistas e estruturação do território);
  • 10h50 – Rota do Ferro ou Rota do Vulcão (fala sobre a criação da rota, articulações para viabilização e parceiros envolvidos);
  • 11h00 – Projeto e Capacitação, Ivan Mendes (Lobi Cicloturismo);
  • 11h15 – Rede Minas Cultura do Cicloturismo;
  • 11h20 – Revista Bicicleta – Marketing no cicloturismo;
  • 11h25 – Dúvidas e esclarecimentos/espaço para atrasos nas falas;
  • 11h35 – Encerramento e considerações finais Secult.

Cicloturismo também é política pública

Nesse sentido, tamanha é a importância do cicloturismo no estado de Minas Gerais, que a atividade é um dos eixos do programa Reviva Turismo, um conjunto de políticas públicas que foi lançado no mês de maio para dar direcionamento à retomada do turismo no estado. Há até mesmo um grupo de trabalho na secretaria focado no segmento. Além disso, dentro do contexto do programa Reviva Turismo, foi publicado em setembro um edital inédito que garante cerca de R$ 10 milhões para promoção e fomento do turismo no Estado!

Com isso, o edital possibilitará que associações ou entidades ligadas ao cicloturismo possam desenvolver projetos para expansão da atividade em Minas, tendo como foco a promoção do destino e atração de turistas. De fato, o cicloturismo passou a ser visto além de apenas uma potencialidade, mas também como um negócio lucrativo.

Cicloturismo no estado de Minas Gerais. Foto: Ivan Mendes © Lobi Ciclotur

O boom das bicicletas

De acordo com dados da Associação Brasileira do Setor de Bicicletas (Aliança Bike), em 2020, o mercado de bicicletas registrou média de 50% de aumento nas vendas desse veículo em comparação a 2019. O primeiro semestre de 2021 aponta que o segmento continua em alta: o país registrou média de 34,17% de aumento nas vendas das bikes em comparação ao mesmo período do ano passado. Com a recuperação do turismo a partir de maio de 2020, houve um pico de aumento nas vendas de bicicletas em julho do ano passado, com um crescimento de 118% sobre 2019.

Foto: Ivan Mendes © Lobi Ciclotur

Os Parques Estaduais como pano de fundo

A exemplo do que ocorre aqui no Paraná com o Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa, a demanda pelo cicloturismo em unidades de conservação estaduais só aumenta em Minas Gerais. A diferença é que por lá já são pelo menos dez Áreas de Proteção Ambiental (APA’s) e Parques Estaduais que oferecem estrutura para receber ciclistas, de acordo com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).

Logo, as estruturas contam com trilhas demarcadas em meio às áreas florestais que permitem que os visitantes tenham acesso a mirantes e cachoeiras, por exemplo. A prática do ciclismo nos parques está disponível aos visitantes o ano todo, basta deslocar-se a uma unidade e informar aos funcionários o desejo de explorar as trilhas.

Cicloturismo no Parque Vila Velha. Foto: Ivan Mendes © Lobi Ciclotur

Circuitos nas unidades de conservação

Diante disso, entre os locais adaptados para receber ciclistas está o Parque Estadual Mata do Limoeiro, localizado no município de Itabira, na região Central de Minas. A UC abriga o Circuito Limoeiro, uma trilha com cerca de oito quilômetros e grau de dificuldade médio, que pode ser compartilhado com pessoas que desejam fazer caminhada. O circuito leva os ciclistas à cachoeira do Paredão e à cascata do Limoeiro. Outra unidade aberta ao ciclismo é o Parque Estadual da Serra do Rola Moça, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Há duas trilhas no Rola Moça: estrada do Sertão e trilha do Cerrado. 

Além disso, o Programa de Concessão de Parques Estaduais (Parc), do governo de Minas Gerais, prevê a implantação de projetos específicos para ciclismo. Um deles é o do Parque Estadual do Sumidouro, localizado nos municípios de Lagoa Santa e Pedro Leopoldo, que está dentro do primeiro contrato de concessão assinado para a Rota das Grutas Peter Lund, no qual o concessionário tem a obrigação contratual de estruturar uma trilha chamada Circuito Volta da Lagoa.

Foto: Ivan Mendes © Lobi Ciclotur

Os Parques Estaduais abertos à prática de cicloturismo no estado de Minas Gerais são:

  • –  Parque Estadual da Mata do Limoeiro (Itabira)
  • –  Parque Estadual da Serra do Rola Moça (Grande Belo Horizonte)
  • –  Parque Estadual Biribiri (Diamantina)
  • –  Parque Estadual do Itacolomi (Ouro Preto)
  • –  Parque Estadual da Lapa Grande (Montes Claros)
  • –  Parque Estadual Sumidouro (Lagoa Santa)
  • –  Parque Estadual Serra do Intendente (Conceição do Mato Dentro)
  • –  Parque Estadual do Pau Furado (entre Araguari e Uberlândia)
  • –  Área de Proteção Ambiental (APA) Fernão Dias (Contagem/Betim)
  • –  Parque Estadual Serra do Ouro Branco (entre Ouro Branco e Ouro Preto)

Fonte

Por Tiago Piontekievicz