Sagan caiu no ‘sprint’ da 3ª etapa, ao ser derrubado por Caleb Ewan (Lotto Soudal), que desistiu imediatamente.

O ciclista eslovaco Peter Sagan (Bora-hansgrohe), sete vezes vencedor da classificação por pontos da Volta a França, desistiu da prova, devido a uma lesão no joelho direito, antes do início da 12.ª etapa da 108.ª edição.

“É uma decisão difícil, mas também fácil, porque se não consigo mexer a perna, não há nada para decidir. É o que é. Estou desiludido, porque depois da minha queda [na terceira etapa], fiz tratamento ao joelho e estava a melhorar de dia para dia, mas há dois dias bati com o joelho contra o guiador e o joelho reagiu de forma diferente do que eu pensava”, detalhou, precisando que, depois da etapa de quarta-feira, com a dupla ascensão ao Mont Ventoux, a inflamação agravou-se.

O eslovaco de 31 anos caiu no ‘sprint’ da terceira etapa, ao ser derrubado pelo australiano Caleb Ewan (Lotto Soudal), que desistiu imediatamente do Tour, e tinha como melhor resultado nesta edição dois quintos lugares, na quarta e sexta tiradas.

“Claro que não estou feliz por desistir, mas isto é uma corrida e eu não posso correr assim. […] Não é agradável deixar a Volta a França, não estou habituado”, assumiu o antigo tricampeão mundial, que não concluiu a ‘Grande Boucle’ por uma vez (em 2017, quando foi expulso da prova por ter provocado a queda de Mark Cavendish com uma cotovelada) nas nove participações anteriores.

Sagan é o recordista de triunfos da classificação da regularidade da Volta a França, tendo vestido a camisola verde no pódio dos Campos Elísios em sete ocasiões: 2019, 2018, 2016, 2015, 2014, 2013 e 2012

Peter Sagan AFP