Depois do ouro em Tóquio, Primoz Roglic vence a Vuelta pela terceira vez consecutiva

O eslovenos Primoz Roglic, de 31 anos, repetiu os feitos de 2019 e 2020 na volta espanhola, e igualou as vitórias do suíço Tony Rominger (1992, 1993 e 1994) e do espanhol Alberto Contador (2008, 2012 e 2014). Agora esses três ficam atrás apenas do espanhol Roberto Heras, o único a vencer a Vuelta quatro vezes, em2000, 2003, 2004 e 2005 (Heras teve a última vitória, de 2005, cancelada por causa de doping, mas ele apelou, alegando imprecisões no teste e manuseio incorreto de amostras; foi bem-sucedido, e anos depois a federação espanhola de ciclismo restabeleceu Heras como campeão da Vuelta de 2005).

© Unipublic / Charly López

Na geral, Primoz Roglic finalizou os 3.417 quilômetros da 76.ª edição da Vuelta, entre Burgos e Santiago de Compostela, em 83h55min29s, com uma vantagem de 4min42s sobre Enric Mas.

Roglic se tornou o terceiro piloto a vencer a corrida em três anos consecutivos. Além disso, venceu por 4min42s, a maior margem de vitória desde que Alex Zülle venceu por 5min07s em 1997.

A Vuelta

© Unipublic / Charly López

Roglic chegou na Espanha embalado; apenas seis semanas depois de conquistar a medalha de ouro no contrarrelógio individual nas Olimpíadas. Na Vuelta, se manteve líder da classificação geral em mais da metade da competição. Ele vestiu a camisa vermelha pela primeira vez no contra-relógio da primeira etapa; depois venceu mais três etapas, a etapa 11 para Valdepeñas de Jaén, a etapa 17 para Lagos de Covadonga e o contra-relógio do último dia em Santiago de Compostela.

© Unipublic / Charly López

Nessa última etapa, que aconteceu no domingo, 5, Roglic foi o mais rápido nos 33,8 km entre Padrón e Santiago de Compostela, em 44min02s. A etapa terminou com o dinamarquês Magnus Cort Nielsen (EF Education-Nippo) em segundo, com 14 segundos a mais, e o holandês Thymen Arensman (DSM) em terceiro, com 52s.

Destaques e classificação final

© Unipublic / Charly López

Em segundo lugar ficou o espanhol Enric Mas (Movistar Team), que teve um desempenho consistente nas montanhas ao longo da corrida para se tornar o rival mais próximo de Roglic. O australiano Jack Haig (Bahrain Victorious) completou o pódio, terminando a 7min40s atrás de Roglic. Haig começou a Vuelta como apoio para o espanhol Mikel Landa, mas Landa abandonou e Haig se tornou o líder da equipe. Ele subiu para terceiro na penúltima etapa depois de se distanciar com sucesso do terceiro colocado anterior, o colombiano Miguel Ángel López, com pouco mais de 50 quilômetros (31 min). Haig então manteve a terceira posição no contra-relógio do último dia, até mesmo estendendo sua diferença sobre o quarto colocado, o britânico Adam Yates (Ineos Grenadiers).

© Unipublic / Charly López

Fora do pódio, o britânico Adam Yates tirou a chance da INEOS de completar o plano de pódios nas três principais corridas em 2021, após a vitória do colombiano Egan Bernal no Giro e o terceiro lugar do equatoriano Richard Carapaz no Tour.

Essa edição da Vuelta também marcou o fim da carreira profissional do italiano Fabio Aru (Qhubeka), de 31 anos, vencedor da competição em 2015 e com dois pódios no Giro (terceiro em 2014 e segundo em 2015). Na edição de 2021, ele terminou na 51.ª posição, a 2h49min04s de Roglic.

© Unipublic / Charly López

Um dos destaques do ano, o campeão olímpico Richard Carapaz (INEOS) abandonou a corrida na 14ª etapa.

© Unipublic / Charly López

Nas outras classificações da corrida, o holandês Fabio Jakobsen (Deceuninck – Quick-Step) ficou com a classificação por pontos, vencendo três etapas de sprint ao longo do caminho. O australiano Michael Storer (Team DSM) venceu a classificação de montanhas. Ele venceu duas etapas do breakaway antes de assumir a liderança da competição nas duas últimas etapas de montanha. A classificação de jovem piloto foi conquistada pelo suíço Gino Mäder (Team Bahrain Victorious), que se apresentou de forma consistente nas montanhas enquanto servia como apoio para Landa e depois para Haig. Ele vestiu a camisa branca depois da penúltima etapa, o que lhe permitiu subir para o quinto lugar na classificação geral, à frente de Egan Bernal (Ineos Grenadiers ), que terminou em sexto. A Bahrain Victorious levou a classificação de equipe, enquanto a EF Education-Nippo ‘s Magnus Cort, que ganhou três etapas, recebeu o prêmio geral combatividade.

© Unipublic / Charly López
© Unipublic / Charly López

Classificação geral final Vuelta 2021

CiclistaPaísEquipeTempo
1.Primoz Roglic EslovêniaJumbo-Visma83h55m29s
2.Enric Mas EspanhaMovistar Team+ 4m42s
3.Jack Haig AustráliaBahrain Victorious+ 7m40s
4.Adam Yates Reino UnidoIneos Grenadiers+ 9m06s
5.Gino Mäder  SuíçaBahrain Victorious+ 11m33s
6.Egan Bernal ColômbiaIneos Grenadiers+ 13m27s
7.David de la Cruz EspanhaUAE Team Emirates+ 18m33s
8.Sepp Kuss Estados UnidosJumbo-Visma+ 18m55s
9.Guillaume Martin FrançaCofidis+ 20m27s
10.Felix Großschartner ÁustriaBora-Hansgrohe+ 22m22s
11.Odd Christian Eiking NoruegaIntermarché-Wanty-Gobert Matériaux+ 25m14s
12.Steven Kruijswijk Países BaixosJumbo-Visma+ 26m42s
13.Juan Pedro López EspanhaTrek-Segafredo+ 31m21s
14.Geoffrey Bouchard FrançaAG2R Citroën+ 49m09s
15.Rémy Rochas FrançaCofidis+ 52m32s
16.Clément Champoussin FrançaAG2R Citroën+ 57m29s
17.Damiano Caruso ItáliaBahrain Victorious+ 1h05m31s
18.Sam Oomen Países BaixosJumbo-Visma+ 1h09m25s
19.Óscar Cabedo EspanhaBurgos-BH+ 1h12m43s
20.Steff Cras BélgicaLotto-Soudal+ 1h22m06s