Paris Roubaix 2021 teve muita lama e primeiro campeão italiano em 22 anos

0
120

Paris Roubaix 2021 teve muita lama e primeiro campeão italiano em 22 anos

Realizada no último domingo, 3, a 118ª edição da corrida de bicicletas mais antiga do mundo fez jus ao seu apelido nesse ano: O Inferno do Norte. Choveu muito na noite anterior ao evento, e o dia começou com todos os trechos pavimentados praticamente alagados e cheios de lama. Um prenúncio de que seria uma prova muito difícil.

O trajeto total da corrida foi de 257 km. Por causa da lama, quedas e quebras foram constantes tanto na fuga como no pelotão.

© ASO / Pauline Ballet

Com o passar dos quilômetros, os grupos de fuga e perseguição se desfizeram e na ausência de 50 km a corrida teve como protagonistas o italiano Gianni Moscon, que parecia bastante sólido liderando sozinho, e o neerlandês Mathieu van der Poel que, após ter que parar para trocar uma roda, começou a conduzir uma verdadeira perseguição a Moscon, junto com canadense Guillaume Boivin e o italiano Sonny Colbrelli. Mas van der Poel não encontrou apoio suficiente nos seus companheiros de grupo e a distância em relação a Moscon foi aumentando em 40 km.

A 30 minutos da chegada, um furo na roda traseira obrigou Moscon a parar, e o italiano perdeu apenas cerca de 14 segundos na mudança de bicicleta. Atrás, o grupo de Van der Poel chegava com 40 segundos. Junto com o ele, estavam Florian Vermeersch, Guillaume Boivin, Sonny Colbrelli e Tom Van Asbroeck.

© ASO / Pauline Ballet

Não era o dia de Moscon. Ele caiu a 25 km do final em um trecho de paralelepípedos, o que deixou o grupo de Van der Poel 13 segundos atrás dele. Em 5 quilômetros, Moscon havia perdido praticamente toda a vantagem que conseguiu, e que o tornaria vencedor.

Porém, o trecho mais difícil do Inferno do Norte, o Carrefour de l’Arbre, ainda estava pela frente. Um trecho de paralelepípedos com curvas acentuadas onde Moscon foi neutralizado. Colbrelli, Van der Poel e Vermeersch estavam sozinhos na liderança com 14 km para percorrer e os últimos três trechos pavimentados.

O sprint final foi lançado e Sonny Colbrelli, da Bahrain Victorious, foi o vencedor. Vermeersch foi o segundo, e van der Poel o terceiro. “É inacreditável, venci na minha primeira vez na Paris-Roubaix, e foi uma prova lendária, com a lama e a chuva”, disse Colbrelli, campeão nacional e europeu de 2021, logo após a chegada. “Estive no limite, foi superdifícil, mas este foi o meu ano, estou muito feliz.” O ciclista encerrou um jejum de 22 anos sem um atleta do país vencer a prova considerada a “rainha das clássicas”. Já van der Poel não conseguiu esconder sua decepção pelo terceiro lugar.

TOP 10 Paris Roubaix 2021

1 Sonny Colbrelli (Ita) Bahrain Victorious 6:01:57
2 Florian Vermeersch (Bel) Lotto Soudal 6:01:57‘ ‘
3 Mathieu van der Poel (Hol) Alpecin-Fenix 6:01:57‘ ‘
4 Gianni Moscon (Ita) Ineos Grenadiers 0:00:44
5 Yves Lampaert (Bel) Deceuninck-QuickStep 0:01:16
6 Christophe Laporte (Fra) Cofidis 0:01:16
7 Wout Van Aert (Bel) Jumbo-Visma 0:01:16
8 Tom Van Asbroeck (Bel) Israel Start-up Nation 0:01:16
9 Guillaume Boivin (Can) Israel Start-up Nation 0:01:16
10 Heinrich Haussler (Aus) Bahrain Victorious 0:01:16

© ASO / Pauline Ballet
© ASO / Pauline Ballet
© ASO / Pauline Ballet
© ASO / Pauline Ballet
© ASO / Pauline Ballet