Bernardo Sampaio, fisioterapeuta e diretor clínico do ITC Vertebral e do Instituto Trata, unidades de Guarulhos.

No ciclismo, depois do joelho, a articulação mais exigida pela atividade é o tornozelo. Os movimentos excessivos e repetitivos da pedalada podem causar Tendinite de Aquiles e eu vou te explicar o que é isso.

A Tendinite de Aquiles ou tendinite calcânea é uma inflamação aguda do tendão de aquiles (como o próprio nome diz), sendo esse o tendão mais resistente do corpo humano. Composto por colágeno, esse tecido fibroso conecta o músculo ao osso e é responsável pela transferência de força entre os dois.

Ao sobrecarregar esse tendão através da prática da pedalada, isso pode causar a exaustão dessa estrutura e consequentemente, uma lesão. Em casos mais graves e sem tratamento, a pessoa pode ter a chamada síndrome da pedrada, que é o rompimento do tendão. Diante disso, você deve estar se questionando: então o ciclismo é uma atividade perigosa e eu preciso evitar subidas, treinos mais intensos e longas pedaladas?

Vamos por partes: cada caso é um caso. Como fisioterapeuta, recomendo a procura por um profissional da área antes de avançar nos treinos ou cessá-los por completo, assim você terá um diagnóstico certeiro sobre seu caso, com procedimentos e atividades voltadas para a sua situação. Mas, de maneira geral, como andar de bicicleta fortalece a panturrilha e estimula o tendão, com a prática de exercícios a inflamação pode melhorar. Mas tome muito cuidado, dependendo do grau, do estágio da lesão e da intensidade da atividade, você pode agravá-la ainda mais.

Reforço que o fortalecimento específico para os grupos musculares é de fundamental importância quando pensamos em performance. Outra dica importante é sempre lembrar que o que machuca é volume, então a progressão adequada e gradual do volume e intensidade de treino é muito importante. Afinal, tão importante quanto o tratamento é a prevenção! Assim, recomendo treinos equilibrados para os meus pacientes, aumentando de forma gradual, sempre respeitando o limite do corpo e sem colocar em risco a lesão, nem ocasionar nenhuma outra.

© AdobeStock

E antes de começar a pedalar, faça exercícios de alongamento e fortalecimento da musculatura das pernas; se informe e faça os ajustes corretos da sua nova parceira de passeios, observe as regulagens e ajustes ideias para o seu corpo, sem esquecer do tamanho de quadro correto para a sua altura. Por último e não menos importante, se você sentir algum um desconforto, dor, durante ou logo após praticar o exercício procure imediatamente um profissional da área.

Bernardo Sampaio

Fisioterapeuta pela PUC-Campinas (Crefito: 125.811-F), diretor clínico do ITC Vertebral e do Instituto Trata, unidades de Guarulhos, Bernardo Sampaio é também professor do curso de pós graduação em fisioterapia traumato-ortopédica do Instituto Imparare e do curso de fisioterapia do Centro Universitário ENIAC (Guarulhos) e também leciona como convidado nos cursos de pós-graduação na Santa Casa de São Paulo. Possui experiência em fisioterapia ortopédica, traumatologia e esporte; e especialização em fisioterapia músculo esquelética, aprimoramento em membro superior e oncologia ortopédica pela Santa Casa de São Paulo. Mestrando em ciências da saúde pela faculdade de ciências médicas da santa casa de são Paulo.

Saiba mais em: www.institutotrata.com.br e www.itcvertebral.com.br