fbpx
Início Mulher E depois dos 50?

E depois dos 50?

Ganhos da Maturidade

Depois de romper a barreira dos 50 anos passei a entender mais profundamente os ganhos da maturidade. É como se uma nuvem se abrisse, e para finalmente conseguir enxergar o que realmente importa na vida. É de certa maneira duro perceber que você está nesta Terra há meio século e que seu tempo é limitado. Nasce um sentimento de liberdade e ao mesmo tempo de urgência.

Apesar de ter passado dos 50, me sinto jovem, com muita disposição e com vários planos e projetos de vida em curso. Conversando com minhas amigas que nasceram nos anos cinquenta, sessenta e setenta, que estão na plenitude de suas vidas, todas se rebelam contra qualquer definição relacionada a idade. Assim como eu, nenhuma delas se identifica com o rótulo “mulheres de meia idade”.

© GaudenzDanuser.com / Scott Divulgação

Penso que de fato fazer parte do grupo “ageless” (pessoas cuja idade não se define pela cronologia) é apenas uma questão de conceito. A sociedade mudou. A mulher deixou de ser a dona de casa e saiu para o mercado de trabalho.

Extremamente fortes e atuantes, as mulheres adotaram outro estilo de vida, uma nova postura mental, colaborando para a adoção de uma imagem mais jovem, mas leve e bem diferente da “matrona”.

Especificamente no meu caso, sinto que dois componentes importantes me ajudam a me manter jovem: um deles é o esporte e o outro a postura mental. Um alimenta o outro.

O esporte me ajuda em muito a manter o físico e o mental mais leves e equilibrados. Já a postura mental alimenta o meu espírito com juventude, como também, alimenta a motivação para me manter firme nos treinos, para me dar a coragem para ultrapassar limites e a força para perseverar em busca de resultados.

Amigas de 50

Telma Kremer, 50 © Nils flieshardt / Spomedis

Minha amiga Telma Kremer, 50 anos, que acabou de participar pela primeira vez de uma prova de Iron Man, na Alemanha, comentou: “Não acho que eu pareça uma menina, mas ainda não me incomodo com a idade, as rugas, as mudanças no corpo; quero envelhecer bem, alegre, saudável. Não faço nada para manter uma aparência jovem – nem creme de rosto me lembro de usar – mas me sinto jovem. Acho que é aquele clichê mesmo, de estado interno, de cabeça. E acho que o prazer deixa a gente jovem, então cada um tem que se responsabilizar pelo seu. A vida não tem ensaio geral. Você não tem outra chance, essa aqui é a sua hora!”

Denise Duboc, 58 © Arquivo Pessoal

Outra amiga praticante de ciclismo, Denise Duboc, 58 anos, diz: “Estar acima dos 50 anos me fez enxergar com mais urgência, não deixo mais nada para resolver depois. O agora ficou mais intenso e precioso. Sinto-me jovem e o que me trouxe essa energia foi ter iniciado na prática do ciclismo há dois anos, quando eu estava lesionada da coluna e sem me exercitar. O ciclismo me tirou as dores e me trouxe uma galera jovem, uma alegria sem fim, sorrisos das 5 horas da manhã, energia de sobra. Trouxe também o desafio de aprender algo novo e que requer disciplina e muito amor. Não consigo me enxergar na terceira idade quando pedalo, na verdade me vejo simplesmente feliz!”

Mirian Kracochansky, 56 © Arquivo Pessoal

A eterna menina e ciclista Mirian Kracochansky, 56 anos, diz que se sente extremamente jovem depois dos 50 anos. “A idade não interfere na minha liberdade para vivenciar novas experiências, a idade não tirou o sorriso do meu rosto, a idade me tornou como um bom vinho, quanto mais envelhece melhor fica. Algumas coisas colaboram para com a minha juventude: faço atividade física desde a tenra idade e nunca parei. Pratiquei vários esportes e hoje a prática do ciclismo, além de fazer muito bem para o meu corpo é uma terapia. Sou otimista. Acredito que o amor seja a chave da renovação. Acredito que o mau humor, o rancor, a depressão e o estresse sejam os principais fatores para o envelhecimento, por isto que para mim cuidar da alma e da mente são coisas tão importantes quanto cuidar do corpo. Quando se tem uma verdadeira razão para lutar pela vida, você não envelhece.”

Acima dos 60

Elza Ueda, 68 © Arquivo Pessoal

Aprendizado e planos é o lema de Elza Ueda, 68 anos. Quando perguntei a Elza qual era a sua idade, ela logo me devolveu a pergunta: “Você quer saber a minha idade cronológica ou biológica? Tenho 68 anos de aprendizado! E, feliz por estar acima dos 60! Sinto-me muito jovem, pois ainda tenho muitos planos para o futuro, plano este diferente de 5 ou 10 anos atrás, pois o foco agora é a busca da felicidade. O segredo de manter-me jovem é viver cada dia intensamente sem me preocupar com a idade cronológica. Tento aprender coisas novas dentro da minha capacidade, é claro. A bicicleta entrou na minha vida dentro deste propósito. Procurei aprender a pedalar aos 66 anos e hoje não imagino viver sem minhas bicicletas e, meu objetivo é fazer uma cicloviagem”

Crenças limitantes

Precisamos tomar cuidado com as crenças limitantes, que é no que você acredita e que limita a sua vida. Só você a toma por verdade. Portanto, é importante, à medida que a sua idade cronológica vai aumentando, desconstruir qualquer crença que passe pela sua cabeça. Desafiar as crenças limitantes é optar por uma postura mental de crescimento. Ao chegar aos 50 analisei impiedosamente a minha vida:

  • Onde consegui chegar;
  • O que aproveitei;
  • Quais conquistas obtive, e o mais importante;
  • Como será a próxima fase desta vida.

Algumas conclusões

Reúno aqui alguns dos meus aprendizados:

  1. Sinta-se a sua prioridade número 1. Se você focar em seu próprio bem-estar, primeiro, você vai ter significativamente mais energia para ser capaz de ajudar os outros quando necessário. Lembre-se que praticar o autocuidado não é ser egoísta. É uma necessidade se você quer levar uma vida rica e produtiva.
  2. Comprometa-se a desenvolver um estilo de vida saudável. Lembre-se de que 95 por cento de todas as doenças estão relacionadas com as escolhas de estilo de vida. Pode chocá-lo perceber que o estresse, exercício, nutrição e relacionamentos são os pilares de uma vida saudável.
  3. Certifique-se de que amigos e sua família apoiam seu crescimento. Não mantenha pessoas tóxicas em sua vida. Qualquer um que consistentemente não é amoroso e solidário precisa ser eliminado ou mantido à distância.
  4. Aprenda a dizer ‘não’. Você ficará encantada ao perceber que dizer não liberará seu cronograma e energia para fazer coisas que você realmente quer fazer.
  5. Substitua pensamentos negativos automáticos em seu cérebro com pensamentos positivos.
  6. Amor. Olhe-se no espelho do banheiro todas as manhãs (realmente olhar) e diga ‘bom dia’ e ‘eu te amo’. Pode parecer piegas, mas quanto mais você faz, mais você vai apreciar quem é, e vai descobrir a beleza do amor próprio.
  7. Desenvolva uma prática diária de gratidão. Literalmente agradeça a tudo o que recebe em sua vida. Faça 5 minutos de pensamentos/meditação para integrar uma prática de gratidão em seu cotidiano.
  8. Desenvolva a autoconsciência. Familiarizar-se com seus humores, motivações e desejos mais profundos são essenciais se você quer viver uma vida significativa, abundante e produtiva.
  9. Assuma a responsabilidade por sua vida. “Eu sou responsável pela minha vida e eu escolho criar uma vida extraordinária”.
  10. Acredite em suas próprias habilidades. Acredite em seu poder e capacidade de criar a vida que deseja.
  11. Pare de se preocupar o que os outros pensam de você. Quando você se pegar em um modo de ‘insegurança’, chame seu sábio interior para lembrá-la que você precisa apenas da aprovação de si mesma e de mais ninguém.
  12. Torne-se uma ouvinte melhor. Você sempre vai aprender mais se ouvir que falar. Isso lhe permitirá desenvolver conexões mais íntimas e mais profundas. Você também vai ter conversas mais interessantes e vai manter sua mente ativa e crescente.
  13. Seja uma principiante. Se você quer viver uma vida rica, criativa e divertida, você precisa expor-se a novos empreendimentos — onde você obviamente vai ser um novato. E mesmo em uma área onde você tem experiência, sempre há mais para aprender e fazer.
  14. Pratique o perdão. Ao perdoar você vai passar de sentimento ferido, isolado e preso na negatividade para uma explosão de energia positiva, alívio e compaixão.
  15. Desenvolva sua criatividade. Todos nós nascemos criativos. Encontre maneiras de exercitar a criatividade e a insira em seu cotidiano.
  16. Passe um tempo na natureza. Mesmo que você tenha só 20 minutos por dia para dar um passeio, o mesmo vai despertar os seus sentidos, e você vai descobrir rapidamente os benefícios mágicos para a sua vida.
  17. Esvazie a mente. Pare o que estiver fazendo, sente-se, limpe sua mente de qualquer pensamento e faça 3 respirações profundas.
  18. Não leve tudo muito a sério. A vida é um paradoxo. Saber como integrar diversão e riso em sua vida cotidiana é um tônico para a alma, impulsiona a criatividade e permite que você desenvolva conexões mais profundas com os outros.

Estilo de vida x Idade

Claudia Franco, 56 © Arquivo Pessoal

Atualmente muitas empresas já se atentaram que segmentar o mercado tendo como critério a idade não é uma boa estratégia de marketing. Exemplos disto são a Netflix e a Amazon, que oportunamente triunfaram segmentando seus clientes/ações por comportamento e estilo de vida.

Alguns dados

The Telegraph

  • 96% Das mulheres de mais de 40 anos não se sentem de “meia idade”
  • 80% Acreditam que os pressupostos da sociedade sobre as mulheres de meia idade não representam suas vidas
  • 67% Consideram-se em sua plenitude de vida
  • 84% Dizem que não se definem por sua idade
  • 91% Não acreditam que os anunciantes as entendam