As mudanças podem não acontecer durante a noite, mas e ao longo de uma semana?

Todos nós gostaríamos de poder acordar de manhã e bater recordes nas trilhas, mas, na realidade, o aperfeiçoamento leva tempo.

Mas se o tempo não está do nosso lado, será possível aprimorar sua forma de pedalar apenas em uma semana?

Enquanto alguns ciclistas juram que suas meias da sorte os fazem acelerar nos dias de competições, não podemos contar com a superstição para pedalar mais rápido e seria melhor investir nos meses de comprometimento para chegar ao pódio. Mas se o tempo for essencial e você colocar o foco no lugar certo, há grandes chances de obter pequenos ganhos em sete dias. Estamos nos conectando a Christina Chappetta @cchappetta1 da Pinkbike para aprender quanta melhoria pode acontecer quando nos dedicamos a técnicas de construção e em quais áreas devemos nos concentrar para obter esses ganhos quando o tempo é curto e a velocidade é o objetivo.

Como pedalar mais rápido em uma semana

Em primeiro lugar, você precisará medir se ficou mais rápido, o que significa que precisará preparar uma espécie de experimento para determinar se suas melhores velocidades mudarão com o tempo. Siga o exercício abaixo para registrar sua velocidade atual e registrar seu progresso no final da semana.

1. Escolha uma trilha designada para registrar seu progresso

O segredo para obter ganhos mensuráveis ao longo de uma semana é ter uma base e seguir o experimento até o fim. Você não será capaz de medir se conseguiu pedalar mais rápido, se tiver mudado para uma trilha diferente, então certifique-se de usar a mesma trilha ao longo da semana.

2. Traga um amigo

A melhor maneira de melhorar na bike é ter uma perspectiva externa. Isso significa pedalar com alguém que seja um pouco mais rápido que você e tenha a percepção para encontrar as melhores linhas e técnicas para passar por partes da trilha que sejam particularmente difíceis.

Mas há mais do que obter algumas dicas dos amigos apenas. As condições ao pedalar podem alterar drasticamente a nossa velocidade. Se ao começar, o dia for cheio do solo ideal e ao final estiver escorregadio e úmido, será difícil notar alguma melhora no seu tempo e a volta final poderá até mesmo ser a mais lenta. Ao pedalar com um amigo, você poderá encontrar uma representação mais precisa de seu progresso, calculando a sua velocidade como uma porcentagem da dele – embora você tenha que usar um pouco de matemática.

Após cada volta cronometrada, divida o tempo de percurso do seu amigo pelo seu tempo de percurso para calcular a porcentagem de velocidade maior ou menor comparada à velocidade de seu amigo. Se você sabe que é 8% mais lento do que seu amigo no primeiro dia, será mais fácil ver se obteve ganhos ao longo da semana, mesmo que as condições tenham mudado.

Aqui está uma fórmula rápida para calcular sua velocidade como uma porcentagem da velocidade do seu amigo:

O tempo do seu amigo em segundos = X

O seu tempo em segundos = Y

A diferença entre os tempos = Z

Fórmula: X/Y = Z

Por exemplo:

Tempo do seu amigo = 97 segundos

Seu tempo = 103 segundos

97/103 = 0,94

Mova o decimal duas casas para a direita para alterar o decimal para um percentual e você descobrirá que a sua velocidade equivale a 94% da velocidade do seu amigo, ou em outras palavras, desta vez, você está 6% mais lento.

Por que isso é importante?

Sabemos que as condições ao pedalar podem mudar, mas a diferença de velocidade entre você e seu amigo é um reflexo honesto de sua velocidade. Se as condições forem diferentes em uma semana, isso afetará o pedalar para você e seu amigo, mas se você for capaz de reduzir a diferença de 8% para 6%, você saberá que sua pedalada ficou mais rápida e não foi totalmente marcada pelo solo ideal.

© Trek

3. Estabeleça o padrão

Dê uma volta de aquecimento com seu amigo para conhecer a trilha antes de rasgá-la com seu máximo desempenho. Assim que volta de aquecimento for encerrada, dê uma volta na trilha dando o seu melhor e cronometrando sua volta visando sua velocidade máxima. Registre seu tempo e use a fórmula acima para calcular sua velocidade como uma porcentagem da velocidade de seu amigo. Guarde suas anotações para saber qual era sua base quando começar novamente na próxima semana.

4. Desmembre a trilha

Pode ser difícil identificar onde melhorar na trilha toda, mas desmembrá-la em setores digestíveis torna isso mais simples. Pense na trilha considerando quatro ou mais segmentos, dependendo de sua extensão, com pontos de referência de partida e parada definidos (como uma encruzilhada, uma árvore torta ou características da trilha) para que você possa realmente pensar sobre onde as características estão localizadas, o que vem antes e depois delas, e onde seu pedalar realmente se destacou ou precisa de um pouco de aprimoramento.

5. Espaço para melhorias

Se você tiver acesso a uma GoPro ou outra câmera de trilha, use-a para capturar imagens a cada volta – isso o ajudará a ter uma ideia de onde está perdendo velocidade, onde está acertando o salto duplo e onde deveria praticar um pouco mais. Se você não tiver uma câmera, não se preocupe, apenas faça um esforço para anotar mentalmente a sua impressão da trilha ou peça a um amigo para observar sua forma de pedalar por trás. Observe como você se sente e como os outros perceberam sua forma de pedalar.

A seção superior pareceu extraordinariamente difícil e agitada?

Talvez você tenha travado os cotovelos ao cruzar as rochas, em vez de seguir pela trilha?

Não tem certeza qual a melhor linha na curva fechada à esquerda?

Faça anotações das áreas que causaram dificuldades e passe por elas mais algumas vezes. Tente seguir seu amigo por essas seções uma ou duas vezes para observar a linha que ele escolheu e como ele lidou com o terreno de maneira diferente. Alterne pedalando à frente ou atrás, para que você possa tentar seguir a linha do seu amigo ou obtenha algumas orientações e perspectivas enquanto ele observam sua forma de pedalar.

© Trek

6. A prática leva à perfeição

Há um que de verdade no velho ditado, e pedalar por quilômetros no chão fará a maior diferença em sua forma de pedalar. Ao longo da semana, treine para dominar cada seção da trilha que causou dificuldades em sua volta cronometrada inicial até que você se sinta confiante e tranquilo. Percorra os trechos difíceis individualmente e, em seguida, divida-os em segmentos e, eventualmente, reúna todos os segmentos para voltas de cima para baixo. Não tenha medo de empurrar a bicicleta algumas vezes para realmente marcar os pontos que estão atrasando você.

7. Registre seu progresso, prepare-se e siga

Depois de passar uma semana treinando arduamente e escolhendo as linhas de forma bem pensada, é hora de revisitar o processo inicial. Ligue para o amigo que o acompanhou no primeiro dia e volte para a trilha. Dê uma volta de aquecimento para se acostumar com as condições do dia e repita o mesmo processo de cronometragem da primeira volta cronometrada. Faça os cálculos usando a fórmula da Etapa 2 para obter a diferença entre seu novo tempo e o novo tempo do seu amigo como um percentual.

© Trek

UMA BOA DICA:

© Trek

Rapid Pack Hydro permite que você carregue muitos equipamentos e hidratação para arrepiar nas voltas e aumentar sua velocidade nas trilhas.

© Trek

Garanta sua hidratação com as Caramanholas Voda que cabem perfeitamente no seu suporte e na sua Pochete Rapid Pack.

© Trek

Troque a chuva por horas a mais de energia mantendo-se seco com a Jaqueta corta vento para ciclismo Circuit Bontrager.