Em 2014, os ciclistas Darren Berrecloth, Garett Buehler e Chris Van Dine saíram do gélido Canadá e embarcaram para o Peru com a missão de encontrar trilhas incas perdidas no meio da Cordilheira dos Andes. O passeio ao longo de ruínas antigas foi uma experiência épica, recheada de história e acabou virando um roteiro comercializado pela agência Global Epix.

Uma verdadeira aventura, com direito a inúmeros picos e vales, 12 mil metros de altimetria acumulada, lugares incríveis e algumas vezes perigosos, encostas de montanhas e terrenos desconhecidos por onde nunca antes passou uma bicicleta. Esse foi o cenário que o trio canadense Darren Berrecloth, Garett Buehler e Chris Van Dine encontrou no Peru. O objetivo era buscar trilhas incas, em especial, a Manco Inca, um caminho que ligava cidades como Machu Picchu e Chilca, muito percorrido na época da invasão espanhola que acabou exterminando a civilização andina.

Segundo Darren Berrecloth, “sempre que você parte para uma expedição em um novo território, você precisa estar preparado para as coisas darem errado – é quando realmente começa a aventura. Nesta viagem em particular, o desafio em si começou em descobrir onde ficava a própria trilha”.

A experiência foi tão empolgante que a agência de viagens Global Epix transformou a viagem em um de seus roteiros – e Darren Berrecloth é o guia! A viagem de sete dias oferece um mergulho em uma cultura antiga e interessante, interagindo com a comunidade local.

© John Wellburn / Red Bull Content Pool

Dia 1 – Cusco e Ollantaytambo

Um curto voo de uma hora através do coração dos Andes peruanos leva os cicloviajantes de Lima até Cusco, a capital do império inca. Um pequeno deslocamento os leva até a parte mais baixa do Vale Sagrado. O destino é Ollantaytambo, vila histórica que serve de base para a semana de viagem.

© John Wellburn / Red Bull Content Pool

Dia 2 – Ruínas do Moray, Minas de Sal e Secret Trail

O passeio começa com alguns singletracks únicos desenvolvidos por Darren e a Global Epix, que em breve se juntarão com um dos mais conhecidos passeios de mountain bike da região: a trilha que liga Moray às Minas de Sal. Moray é um sítio inca construído em uma série de depressões naturais em uma encosta entre Cusco e Ollantaytambo, ao longo de uma das muitas estradas reais que os incas construíram para transportar o rei e sua comitiva. Não é certo, mas a teoria mais aceita é de que os incas aproveitavam a variação natural em temperaturas entre cada terraço construído para simular diferentes altitudes e desenvolver diferentes culturas.

© John Wellburn / Red Bull Content Pool

Minas de Sal é um grande sistema que funciona como piscinas de evaporação, projetada para produzir naturalmente sal puro de um córrego subterrâneo salinizado. Quando essa água altamente salgada emerge, ela é direcionada para as pequenas piscinas em forma de escadas. Estima-se que essas Minas de Sal sejam anteriores até mesmo aos incas. É uma visita fascinante e um Downhill extremamente rápido e divertido. À tarde, a equipe explora trilhas secretas, são locais por Cusco e pelo Vale Sagrado, não revelados pela agência para manter a essência da experiência.

© John Wellburn / Red Bull Content Pool

Dia 3 – Inca Avalanche

Um dos passeios mais épicos e famosos no Peru, essa trilha parte de 4.420 metros de altitude e desce 1.520 metros até um vale aos pés de uma geleira, passando por cachoeiras, lhamas, ruínas incas, pequenas casas de pedra tipicamente andinas e toda a cultura tradicional. Toda a trilha está em uma estrada real inca de acesso à selva amazônica que provavelmente tenha bem mais de 1.500 anos. A descida dura de uma a uma hora e meia, parando para fotos e contato cultural. Ao chegar lá embaixo, uma van leva os ciclistas para cima de novo, a fim de realizar novamente a descida.

© John Wellburn / Red Bull Content Pool

Dia 4 – Calca & Racchi / Paucarbamba

Há muitas descidas para serem feitas de bike no Vale Sagrado, e nesse dia são exploradas duas das melhores. A primeira é um belo singletrack por colinas e fazendas, um trajeto principalmente descente, mas que também exige uma pedalada. A segunda é a descida de Calca, via uma antiga estrada inca. Esta trilha tem seções suaves, abundância de escadas e partes rochosas.

Dia 5 – Machu Picchu

Este dia é aberto para uma visita opcional a Machu Picchu, uma das Sete Maravilhas do Mundo, não incluída no preço básico da viagem. Aqueles que não desejarem ir até Machu Picchu conhecerão mais uma trilha escondida e verdadeiramente épica, com impressionantes ruínas incas e uma longa descida de volta a Ollantaytambo.

Dia 6 – Trilhas Secretas

Neste último dia de bike, duas trilhas são percorridas. Como a agência foi pioneira e os destinos não são bem conhecidos, essas trilhas são secretas também e não têm sua localização e nomes publicadas. A promessa é de que sejam mais estradas incas com predominância de descidas, uma ótima maneira de terminar a viagem.

Dia 7 – Transporte para Cusco

O pacote da viagem inclui ainda o transporte para o aeroporto de Cusco.

Confira o filme da Red Bull