Berlim revela plano para rede de tráfego de bicicletas de 3.000 km

No início desse mês, Berlim anunciou o Radverkehrplan – uma nova estrutura que pede o redesenvolvimento e construção de uma rede de tráfego de bicicletas de 3.000 quilômetros, transformando a cidade em um paraíso para os ciclistas. O novo plano define as metas da estratégia de expansão das bicicletas da cidade, delineando as principais prioridades, bem como parâmetros, diretrizes e justificativas para um maior crescimento.

Regine Günther, senadora pelo Meio Ambiente, Transporte e Proteção Climática, apresentou o Radverkehrplan perante o Conselho de Prefeitos. Esse Conselho é um órgão composto por todos os 12 prefeitos de distrito de Berlim e, de acordo com eles, o plano deve ser implementado o mais rápido possível.

© EnvatoElements

A recém-desenvolvida rede de ciclovias exige uma revisão de grande parte da infraestrutura existente para bicicletas, em vigor desde a década de 1990. Embora, potencialmente perturbadora para o fluxo de mercadorias e pessoas ao longo das antigas rotas estabelecidas, uma rede recém-projetada tem o potencial de oferecer melhores condições.

Isso se deve principalmente aos últimos 30 anos de experiência, sabendo o que funciona e o que não funciona quando o assunto é pedalar. Ao mesmo tempo, permite uma rede unificada de ciclismo que é grande o suficiente para lidar com o aumento esperado no tráfego e, mais importante, fornece rotas úteis em toda a cidade ligando áreas comerciais, de lazer, residenciais e comerciais.

As primeiras prioridades são as conexões que abrangem toda a cidade, totalizando 865 quilômetros. As autoridades locais planejam uma expansão dessas rotas para uma largura padrão de 2,50 metros, sem as faixas de limite. Em segundo lugar, as rotas principais se conectarão a uma rede suplementar com uma extensão de 1.506 quilômetros, onde a largura padrão será entre 2 e 2,30 metros.

(Pixabay)

Além disso, a cidade anunciou que vai alargar mais 550 quilômetros de ciclovias nas estradas principais, que não fazem parte diretamente da rede de ciclovias, para uma largura de 2 a 2,30 metros. E, por último, planejam 100 quilômetros de conexões de ciclovias rápidas, contornando certas áreas congestionadas, permitindo uma redução estratégica do transbordamento.

Assim, Berlim prevê um sério crescimento no tráfego de bicicletas nos próximos anos e, sob o novo Radverkehrplan, todas as propostas de infraestrutura e remodelações devem vir com certas infraestruturas de apoio, como estacionamentos de bicicletas.

No total, a capital alemã planeja reconstruir e criar uma rede ciclável de 3.000 quilômetros, duas vezes maior que a atual e com qualidade significativamente superior. De acordo com a cidade, a nova estrutura fornece algumas diretrizes padronizadas; no entanto, também permite flexibilidade quando se trata de refinar os detalhes mais sutis da rede.

Fonte