Dicas para ir de bicicleta ao trabalho

Motivos para trocar o carro pela bicicleta para ir trabalhar não faltam. Engarrafamentos transformam os pequenos deslocamentos em verdadeiras viagens; sair da vida sedentária e incluir uma atividade física no dia a dia é outro bom motivo para adotar a bike como meio de transporte: mesmo que o objetivo seja apenas o deslocamento, e não o exercício em si, o fato de estar em movimento ao ar livre traz benefícios duradouros.

0
450
© Trek / Divulgação

Na teoria, tudo perfeito…Na prática, não é bem assim, pois existem desafios e cuidados que devem ser tomados ao usar a bici. Então, acompanhe algumas dicas que podem lhe ajudar a enfrentar os obstáculos nessa mudança ao adotar a bicicleta como veículo para ir ao trabalho.

1. Tome a iniciativa

Você sempre usou o carro pra tudo. E por inúmeras razões: um dia está chovendo, no outro, tem que passar no supermercado, ir ao banco ou a uma reunião importante… Mas você não aguenta mais e quer deixar o carro em casa! Como? Tome a iniciativa: convença-se, acostume-se com a ideia e comece a fazer a substituição do carro pela bicicleta aos poucos. Esteja mentalmente preparado para o esforço que o percurso exigirá. Saia da zona de conforto e escolha o melhor para o seu corpo e para a sua mente. Informações sobre os benefícios do uso da bicicleta e sobre o impacto negativo do excesso de carros nas ruas o ajudarão a tomar essa importante iniciativa.

2. Procure outros ciclistas

Conheça outras pessoas que também usam a bicicleta para se locomover. Converse sobre as principais dificuldades que eles enfrentam nas ruas, como eles fazem a escolha do percurso até a empresa, enfim, dê uma polida no seu olhar sobre a bicicleta, com base na experiência de quem já a utiliza. Essas informações serão valiosíssimas para a sua iniciação. Conheça a história de outros ciclistas para se motivar, saiba que existem desafios mas concentre-se sempre nos aspectos positivos.

3. Atenção à sua saúde

Você começou a olhar com carinho para as magrelas que circulam naquela ciclovia em frente à empresa. Mas alto lá! Antes de sair pedalando como um louco, faça a coisa certa: visite um médico. Uma avaliação clínica geral é importante para orientar a forma correta da prática do exercício e resguardar a sua saúde, sugerindo a intensidade e o volume das atividades de acordo com os seus limites e orientando sobre os cuidados necessários para evitar lesões. * (Leia mais orientações sobre saúde na matéria Tenha uma Smart Atitude!, na edição agosto/2011).

4. Faça um Bike Fit

Com o ok do médico, procure um Fitter e ajuste a sua bicicleta ao seu biótipo, garantindo o conforto necessário para pedalar. Um profissional lhe indicará o posicionamento ideal e a bicicleta adequada para o seu corpo, o que além de saudável, é importante para o seu bem-estar. Isso fará toda a diferença entre você continuar usando a bike, ou desistir pelos incômodos do não ajuste correto.

5. Invista em seu veículo

Agora está quase tudo pronto. Você já decidiu usar a bike, fez os exames médicos e o bike fit. Agora, é hora de investir. Com a orientação do seu Fitter, compre ou adapte a sua bicicleta e os acessórios certos para que o seu status de ciclista perdure sem dores ou ressentimentos. Cuidado, também, com a sua segurança. Compre um bom capacete, luvas, pondere a necessidade de adquirir um alforje e use sempre os itens obrigatórios, que segundo o Código de Trânsito Brasileiro, são a campainha, a sinalização noturna dianteira, traseira, lateral e nos pedais e espelho retrovisor do lado esquerdo. Além disso, é bom ter um suporte para a caramanhola, uma bomba e ferramentas para reparos rápidos. Comprar uma boa bicicleta e bons acessórios não é um gasto, é um investimento – saudável e sustentável. Para diminuir os riscos de ser roubado ou assaltado, uma boa ideia pode ser camuflar a bike, não deixando adesivos da marca à mostra, por exemplo. E quando for à bicicletaria, invista também em um bom cadeado, que pode ser com chave ou segredo e no mínimo irá dificultar o trabalho do ladrão.

© Trek / Divulgação

6. Compre no lugar certo

Procure sempre especialistas. Nesse caso, procure lojas especializadas com atendentes que também pedalam, que têm conhecimento sobre todos os aspectos que envolvem o uso da bicicleta. Profissionais da área não irão querer empurrar qualquer equipamento: se você for comprar a bike e os acessórios em uma bicicletaria, contará com um atendimento diferenciado, que irá orientar a compra conforme as suas necessidades. Lojas e oficinas organizadas, conhecidas pela qualidade e pela paixão pela bicicleta, são garantia de bom atendimento.

7. Cuidado com a roupa

As novas aquisições te deixaram radiante e você já deve estar testando a bicicleta em pequenos trajetos nas horas de folga. Mas para ir trabalhar, vai precisar tomar cuidado com a roupa usada para pedalar. A primeira questão é usar roupas que te deixam visível no trânsito. Outro ponto é que, mesmo ao andar devagar, é normal transpirar um pouco e, estando ao ar livre, a possibilidade de se sujar é maior. O ideal, então, é ter uma peça de roupa no local de trabalho, ou levá-la em seu alforje. Cobre da sua empresa um lugar específico para guardar a bicicleta, um ambiente adequado para trocar de roupa e até mesmo um chuveiro. Se essa infraestrutura não estiver disponível ainda, uma e-bike pode ser usada para minimizar o problema da transpiração: você pode chegar ao trabalho sem fazer muito esforço e deixar as pedaladas para a volta pra casa. Se o percurso não for muito longo ou o ambiente não exigir muito requinte, você pode até ir pedalando com a roupa de trabalho.

8. Tenha o controle do seu tempo

A sua relação com a bike está evoluindo e você já a apresentou aos colegas do trabalho. Também percebeu que ao usar a bicicleta, o tempo de deslocamento é muitas vezes mais rápido que o carro, e independe dos congestionamentos das vias, ou seja, você sabe quanto tempo levará para chegar na empresa. Agora, use isso a seu favor. Tenha sempre alguns minutos de folga para se recompor antes de começar a trabalhar, além de ter um tempinho caso um imprevisto acontecer: será a diferença entre começar o dia descontraído ou atropelado. Você também pode impor um ritmo mais lento para se deslocar, a fim de não transpirar tanto. E por último, usar vias secundárias, mais tranquilas para realizar o trajeto, além de mais seguro, pode ser mais rápido e lhe garantir ainda mais tempo: um bem tão escasso hoje em dia.

9. Acompanhe a previsão do tempo

Absolutamente não é legal chegar ao trabalho todo molhado. Crie o hábito de dar uma olhada na previsão do tempo e esquematize um plano emergencial, caso chova. Quando nublar, leve uma capa de chuva e uma roupa específica para o caso da água despencar. Se for possível, deixe uma roupa reserva na empresa. Outra possibilidade é conjugar o percurso com outros modais, escolhendo transportes coletivos com estacionamentos específicos para a bicicleta ou que permitam o seu transporte. Nesse caso, uma bicicleta dobrável te dá mais portabilidade. Não esqueça de ter sempre uns trocados junto, para essas ocasiões. Com o tempo ensolarado, não esqueça do filtro solar e de se hidratar regularmente.

© Tyler Olson

10. Passe a ideia adiante

A barriga diminuiu, o entusiasmo aumentou, você conheceu ruas da sua cidade que nunca tinha visto, ganhou tempo e andar ao ar livre faz você parecer mais vivo. Até o sentimento de estar fazendo a sua parte pelo meio ambiente ficou mais aguçado. Bem-vindo ao clube, parceiro(a). Agora, não seria a hora de incentivar mais pessoas a pedalar? Aproveite a hora do cafezinho para falar sobre os benefícios de usar a bicicleta e elas reforçarão a voz no pedido por mais infraestrutura, tanto pública (ciclovias, estacionamentos públicos seguros, etc.), quanto privada (chuveiro, armários, bicicletário, etc.), tornando a vida de todos os ciclistas mais segura. Você estará tirando mais carros das ruas, auxiliando outras pessoas a despertarem para o uso da bicicleta e isso só enriquecerá ainda mais a sua qualidade de vida.

Vantagens em ir trabalhar de bike

Há desvantagens? Sim, como a falta de respeito e de infraestrutura para maior segurança no trânsito, e o “trabalho a mais” com a questão da higiene. Mas analise as seguintes vantagens:

  • Economia: de dinheiro, de tempo e até de espaço. Não é preciso abastecer, a manutenção custa muito menos, não há gasto com estacionamento – aliás, não é preciso ficar caçando uma vaga pois o espaço que a bike exige é muito menor. Além disso, em trechos curtos dentro da cidade, você ainda economiza o tempo que ficaria preso no trânsito.
  • Condicionamento físico: por ser um transporte ativo, a bike proporciona a prática do exercício físico e isso reflete em sua resistência, em seu peso e saúde em geral.
  • Motivação: a endorfina liberada no exercício físico tem impacto também na questão psicológica, pois combate a ansiedade, o estresse e a depressão. Ir ao trabalho vai ser a melhor parte do seu dia e você vai chegar mais disposto e motivado.
  • Menos poluição: além da poluição do ar, a poluição sonora das estradas é cada vez mais prejudicial. De bicicleta, você pode escolher caminhos alternativos, menos movimentados: além de ser mais seguro, é um ambiente menos poluído e isso vai te fazer muito bem. E, claro, você não estará poluindo!
  • Sociabilidade: a bicicleta é um veículo sociável, porque permite um contato maior com as pessoas e com o meio. Além disso, pedalar é divertido e o bom-humor permite criar contatos mais saudáveis e positivos.
  • Trânsito mais seguro: em um carro, se você se distrair (como quando for mudar a estação do rádio ou pegar algo no porta-luvas), ou acontecer algum problema mecânico, você estará colocando a sua vida e a vida de outras pessoas em risco, diferente do que acontece com a bicicleta: claro que você pode cair e se ralar um pouco, mas dificilmente colocará a vida de outra pessoa em risco.
© Monkeybusiness / Depositphotos