Desconforto ao pedalar por muito tempo?

Um dos vilões deste tipo de história costuma ser o selim, ou vários deles, depois de muitos testes sem sucesso na busca por um selim confortável. Mas pode ser que o selim não tenha toda a culpa da história, e que o ciclista precise aprender um pouco sobre como ele e o selim interagem, e porque os dois não se entendem.

Escolher um selim não é como escolher um sofá. Qualquer pessoa pode se jogar em um sofá com cobertas e pipocas e passar algumas horas assistindo séries e filmes. Mas o selim da bicicleta… bem, definitivamente não há receita de bolo para ele. O que fica bom em um, não fica bom em outro.

Por que o selim gera desconforto?

Sempre que nos sentamos, apoiamos maior parte do corpo em um par de ossos chamados ísquios. Os ísquios constituem a zona inferior da pélvis, e são popularmente conhecidos como ‘ossinhos da bunda’. Quando você se senta em uma cadeira estofada ou em um sofá, o trabalho dos ísquios fica fácil, já que a pressão gerada pelo peso do corpo é distribuída entre nádegas e coxas. Se você se sentar em uma cadeira ou banco de madeira dura sem estofado, já vai sentir a diferença.

Mas quando estamos pedalando sentados em um selim, os pontos de pressão são bem menores e mais específicos, já que precisamos de liberdade para poder mover as pernas. Com isso, o trabalho fica quase todo para a região dos . Se o selim não estiver de acordo com o ciclista e o uso, os pobres ísquios vão sofrer ao passar das horas sobre a bicicleta. E se eles sofrem, adivinha quem mais sofre?

© Specialized

O selim precisa estar de acordo com o ciclista. Não há como ter um assento tão amplo como uma cadeira ou um sofá, mas há como fabricar selins que lidem com esse problema de acordo com as características do ciclista e alcancem bom conforto ou performance. O que é preciso analisar para escolher um selim?

Largura dos ísquios e gênero

Seu selim pode custar muitos lobos-guará, mas se a largura dele não estiver de acordo com seus ísquios, será desconfortável. A largura média dos ísquios fica em 12 centímetros nos homens e 13 nas mulheres, mas essa medida varia alguns centímetros de pessoa para pessoa.

O primeiro passo, então, é medir a largura dos ísquios, e escolher selins que tenham pelo menos 2cm a mais do que essa medida. Estudos do National Institute for Occupational, Safety and Health em Cincinnati, Ohio sugerem que selins mais largos geram menor pressão como um todo; a pressão sobre o períneo diminui quando a largura é suficiente para apoiar os ísquios. A largura só não pode chegar ao ponto de atrapalhar o movimento das pernas.

Como medir a largura dos ísquios? Coloque um ou vários pedaços de papelão ou outro material que se deforme permanentemente com a pressão sobre uma superfície rígida, e então sente em cima do papelão, e eleve sua perna com um apoio para que seu joelho fique um pouco acima da altura do assento. Seus ísquios vão deixar duas marcas no papelão; meça a distância entre elas, de centro a centro, e então, somando algo entre 2 e 3cm, use a medida como base para escolher um selim com largura adequada. Em algumas bicicletarias, há ferramentas para essa tarefa que a fazem com mais precisão. Se puder, use uma.

E como a largura dos ísquios das mulheres é maior que a dos homens, elas devem procurar por selins mais largos e com narizes mais curtos. Como a constituição física dos gêneros tem muitas diferenças, se você é uma ciclista, prefira selins feitos especificamente para mulheres, de boas marcas.

Modalidade e posição de pilotagem

Você já deve ter visto selins muito variados, desde alguns que parecem um puff até selins finíssimos de carbono. Eles mudam conforme modalidade e posição de pilotagem. A posição de pilotagem pode mudar dentro de uma mesma modalidade, mas em geral cada modalidade se detém em uma faixa de posições.

Quanto mais inclinado o ciclista fica sobre a bicicleta, ou quanto mais agressiva for a forma de pilotar, mais estreito, comprido e plano é o selim. Quanto mais ereto fica o ciclista ou mais tranquila a pilotagem, mais curto, largo e curvo deve ser o selim. Podemos aplicar a mesma base ao nível de flexibilidade da coluna do ciclista. Ciclistas mais flexíveis podem usar selins mais estreitos, planos e compridos.

Em bicicletas de passeio, a posição de pilotagem é muito relaxada e natural, e em alguns casos o ciclista mantém a coluna totalmente ereta. Neste estilo de pilotagem, não se espera muito desempenho, então pode-se dar espaço a mais conforto. Por isso, os selins para passeio são largos e possuem preenchimento alto, especialmente na parte onde se apoiam os ísquios, e os narizes desses selins são curtos.

PASSEIO

Em mountain bikes, temos selins com menos preenchimento, mas ainda curvos, e com narizes mais longos. É aqui que começam a aparecer mais selins vazados. Selins vazados tem como proposta aliviar a pressão no períneo, especialmente, mas não unicamente, para ciclistas homens.

As coisas não mudam muito do cross country até o downhill, exceto quando a competição começa. Praticantes de mountain bike precisam de bom desempenho ao pedalarem sentados, mas ao mesmo tempo, gastam muito tempo em cima do selim, e como terreno continua sendo acidentado, é necessário que o selim absorva um pouco de choque e vibração. Por isso, ainda há preenchimento, seja em tecido, couro, espuma ou gel. A posição de pilotagem é um pouco mais inclinada, mas ainda se mantém o suficiente para lidar com terreno acidentado e trechos técnicos.

MTB

Até mesmo no downhill os selins são importantes. Fora dos trechos técnicos, quando se precisa de mais velocidade, um selim na altura correta torna a pedalada mais eficiente. Por isso, ao comprar um selim para DH, não pegue qualquer selim. Escolha bem!

Alguns competidores do cross country optam por selins sem preenchimento, como selins de carbono puro, ou com preenchimento muito fino, para diminuir o peso da bicicleta e aumentar o desempenho.

Em bicicletas de estrada, a posição de pilotagem é ainda mais inclinada, e a cadência da pedalada é maior. Por isso, os selins são mais estreitos e lisos, permitindo melhor movimentação das coxas. São mais planos, mais ainda podem apresentar alguma curvatura. Nessa modalidade é mais comum ver selins sem preenchimento, ou com preenchimentos muito finos.

ESTRADA

Já em triatlo, temos os selins mais planos, finos, longos e duros do mundo da bicicleta. Os atletas dessa modalidade pedalam em posição bem horizontal, por isso, precisam de um selim com frente longa para se apoiarem, mas sem restringir os movimentos. Aqui selins sem preenchimento são muito comuns.

TRIATLO

Selim sofazão vai resolver meus problemas com o conforto?

Se sua bike for de passeio, talvez. Mas lembre-se que se a largura do selim for incompatível com a largura dos seus ísquios, as coisas vão continuar ruins.

Como mostrado acima, preenchimento só é algo essencial quando se tem impacto e vibração, e ainda assim, precisa vir na medida certa. Se você usar um selim sofá em uma bicicleta de asfalto, por exemplo, pode ter algum conforto por um curto período de tempo, mas depois, com a forma do selim restringindo seus movimentos, as coisas vão ficar piores do que antes.

Então, o segredo do conforto não é a quantidade de preenchimento do seu selim, mas sim se as medidas e o tipo do selim estão de acordo com as medidas do ciclista, com a modalidade, estilo de pilotagem, flexibilidade e gênero.

Vibração

Problemas com a vibração em seu selim? Isso pode acontecer mesmo em modelos com preenchimento, e tanto em modalidade off-road quanto on-road. Há algumas coisas que se pode fazer para melhorar isso. A primeira é verificar se a calibragem dos pneus não está muito alta. Alguns ciclistas inflam seus pneus perto do limite de pressão. Com o pneu muito rígido, mais vibrações passam para o quadro e para o selim. E é importante lembrar que em dias quentes ou rodando em alta velocidade, a temperatura e a pressão dos pneus aumentam ainda mais, o que pode fazer o pneu estourar. E em condições de chuva ou terreno molhado, pneus super inflados vão ter pouca aderência, podendo causar acidentes.

Outra dica é trocar algumas peças da sua bicicleta por peças de carbono, especialmente o canote de selim. Canotes de carbono absorvem vibração e tornam o pedal mais confortável, além de serem mais leves. Garfos de carbono (para bikes sem suspensão) também ajudam a reduzir as vibrações enviadas para o quadro. Como importar se tornou muito fácil, vale a pena procurar dar uma olhada em peças de carbono de boa qualidade no exterior.

Um aviso: ao comprar um canote de carbono, confira o limite de peso que ele suporta. Essa medida varia entre os modelos e é essencial que seja respeitada.

Montagem do selim

Não só de bom selim vem o conforto ao pedalar, mas também de montá-lo corretamente. Mesmo o selim correto, montado de forma errada, vai gerar desconforto. Por padrão, o selim deve ser montado na horizontal. E não pense que seus olhos vão dar conta de nivelar perfeitamente o selim! O ideal é usar um nível para conseguir uma boa montagem.

Mas nivelamento não é o único ajuste de um selim. A altura correta também é importante. Como base, o selim deve estar alto o suficiente para que ao pedalar com o pedal na posição mais baixa, a perna fique quase totalmente esticada, levemente flexionada. Há um cálculo que se faz com o cavalo (altura da sola dos pés até a base do períneo) para saber a altura correta do selim, mas não vamos falar disso aqui.

E ainda há o deslocamento no selim pelos trilhos. Essa é mais uma medida que exige alguns cálculos.

Que tal um bike fit?

Como se pode ver, há muitas variáveis no cálculo de um selim. Por isso, se você quer a escolha mais bem feita possível, o ideal é fazer um bike fit. Com o conhecimento de um bike fitter experiente e as medidas do seu corpo, pode-se chegar no melhor resultado não possível, não apenas no selim, mas em toda sua bicicleta.

Mesmo um bom selim, em uma bicicleta com outras medidas incorretas, pode gerar desconforto.

© Specialized