Magalu e Caloi lançam bicicleta feita em tempo recorde

0
143

As gigantes criaram a Essencial, um modelo de bicicleta desenvolvido, fabricado e distribuído em tempo recorde. O objetivo é ajudar o país a se movimentar após o pico da crise. O modelo começou a ser vendido ontem no app, site e lojas físicas do Magazine Luiza.  

A é desenvolvida em quadro rebaixado de aço e é ideal para qualquer tipo de terreno e clima.

O lucro obtido com a comercialização da Caloi Essencial será revertido para o Projeto Florescer, que tem como objetivo melhorar a situação do acesso à água e ao saneamento básico, instalando lavatórios de água em comunidades carentes de diversas regiões do Brasil. 

O nome do modelo veio justamente como uma forma de homenagear os trabalhadores que, mesmo na pandemia, tiveram que ir às ruas prestar serviços essenciais: médicos, enfermeiros, entregadores, lixeiros, funcionários de empresas que produzem alimentos, agricultores, entre outros.

O projeto de desenvolvimento da Essencial demorou menos de quatro meses para sair dos desenhos do time de Produtos da Caloi para as lojas do Magalu. Ao todo serão 10 mil bicicletas comercializadas pelas empresas, que conseguiram em conjunto lançar a bike de melhor custo-benefício do País, no valor de R$ 399,00.

“A ação dialoga com um dos maiores propósitos do Magalu, o de colaboração com a sociedade. Por meio dessa parceria, será possível oferecer um excelente produto, com preço baixo e a entrega mais rápida do Brasil”, explica Priscila Andorno, Diretora Comercial do Magalu.

“Essencial é sinônimo de vital, indispensável. Bicicleta sempre foi um meio de transporte essencial para a mobilidade, seja nos pequenos, médios ou grandes centros urbanos, mas neste momento de pandemia seu papel é ainda maior na sociedade. Estamos vendo lá fora, principalmente nos países europeus, um grande incentivo ao modal que precisa ser refletido por aqui. Bicicleta traz saúde para quem pedala e ajuda a evitar aglomerações. Além disso, com a Caloi Essencial queremos movimentar a economia, pois sabemos das dificuldades financeiras da população. Seu custo é baixo para tentar fazer com que ninguém fique parado em casa sem trabalho”, afirma Cyro Gazola, presidente da Caloi.

© Divulgação imprensa