Lennard Kamna vence uma etapa de grande volta pela primeira vez. Primoz Roglic e Tadej Pogacar comandam a classificação geral. Nesta quarta-feira rolará a ‘Etapa Rainha’ do Tour

© ASO

Deu fuga na etapa 16 do Tour de France, realizada nesta terça-feira entre La Tour du Pin e Villard de Lans (montanha, 164km). O alemão Lennart Kamna, da equipe Bora, teve maior resistência para ganhar a sua primeira etapa de grande volta. Ele colocou quase um minuto de vantagem para o equatoriano Richard Carapaz, vencedor do Giro da Itália-2019 e que vem trabalhando como gregário de Egan Bernal nesta edição do Tour.

© ASO

A prova

A fuga desde o início comandou o ataque. Na metade da prova, ela já tinha colocado 12 minutos de frente para o pelotão principal. Nos últimos 20km, na descida, Lennard Kanma se lançou. Carapaz, que vinha puxando a fuga, tentou investir, mas o alemão se impôs e foi abrindo a diferença imbatível nos quilômetros finais.

Como os três primeiros estavam com muito deficit para os líderes por tempo (a disputa principal), a turma que briga pelo caneco (e pela camisa amarela) chegou quase em bloco, com mais de 16 minutos para o líder. Claramente se resguardaram para a etapa rainha de 2020, que ocorrerá nesta quarta-feira (leia mais abaixo). No quilômetro final, a Jumbo Visma acelerou, mas apenas o quarto colocado Miguel Angel López (Astana, o quarto colocado geral) buscou o sprint para tentar tirar um pouco de tempo. Mas os eslovenos Primoz Roglic (Jumbo) e Tadej Pogavar (Emirates) chegaram logo em seguida. Assim, Roglic manteve a liderança com 40s de vantagem para Pogacar, com os colombianos Rigoberto Uran e Angel López em seguida.

© ASO

Nairo Quintana resolveu diminuir o ritmo em chegar 35s depois do grupo, provavelmente se resguardando para tentar a vitoria na etapa desta quarta-feira, sua última chance de chegar ao título (precisará vencer liderando a fuga para tirar os 5m43s de deficit para Roglic).

Já o campeão de 2019 do Tour, Egan Bernal com a sua Ineos mais uma vez ficou muito para trás e sua única aspiração agora é tentar ganhar alguma etapa, já que a sua diferença de tempo para Roglic está em insuperáveis 19 minutos.

© ASO

Pela camisa verde

Com o tempo de corte em 35 minutos, as atenções se voltaram para o posicionamento dos sprinters (velocistas) que ainda brigam pelo título por pontos. Normalmente estes velocistas chegam muito atrás em etapas de montanha e precisam chegar no prazo limite ou serão desclassificados. Isso se chama tempo de corte e se alguém chegasse com mais de 35 minutos de deficit para Lamna, estaria desclassificado.

Sam Bennet (irlandês da Quick-Step), Peter Sagan (eslovaco da Bora), Matteo Trentin (italiano da CCC) Caleb Ewan (australiano da Lotto) conseguiram completar a tempo e seguem vivos. Bennet lidera e pode destronar Sagan, vencedor de sete das últimas oito camisas verdes do Tour, permanece em segundo.

© ASO

Top10 da classificação geral (camisa amarela)

  1. Primoz Roglic – Eslovênia/Equipe Jumbo Visma – 70h06m47s
  2. Tadej Pogacar – Eslovênia/Emirates (+ 40s do líder)
  3. Rigoberto Uran – Colômbia/EF (+ 1m34s)
  4. Miguel Angel López – Colômbia/Astana (+ 1m45s)
  5. Adam Yates – Grã Bretanha/Mitchelton (+ 2m03s)
  6. Richie Porte – Austrália/Trek (+ 2m13s)
  7. Mikel Landa – Espanha/Bahrain (+ 2m16s)
  8. Enric Mas – Espanha/Movistar (+ 3m15s)
  9. Tom Dumoulin – Holanda/Jumbo Visma (+ 5m19s)
  10. Nairo Quintana – Colômbia/Arkea (+ 5m43s)
© ASO