Como saber se estou viciado no pedal?

Existem duas teorias sobre o vício em bicicletas.

Veja se você se encaixa em alguma delas.

  • A psicologia social analisa o comportamento do indivíduo em um ambiente social e tem analisado esse comportamento para descobrir as razões pelas quais a bicicleta causa dependência. Seu principal argumento refere-se a motivos de evitação ou distração, ou seja, é o campo mais próximo do que você já conhece: a bicicleta te tira da rotina, te leva a lugares diversos, e te liberta, te ajuda a se sentir bem-sucedido consigo mesmo e em relação aos outros. Estas razões explicam por que o seu comportamento muda e, depois de experimentar a bicicleta, pensa apenas no seu próximo percurso, na sua próxima bicicleta, no seu próximo objetivo ou desafio etc.

  • Mas existe uma teoria mais quantitativa, proveniente da medicina fisiológica. Alguns estudos monitoraram o ciclista para tentar medir o que acontece em seu corpo quando ele anda de bike e circula dia sim, dia não. Nos laboratórios, foi criada uma rotina em que um ciclista anda de bicicleta por uma semana, dia a dia, e a compara com o mesmo ciclista por uma semana em repouso. As grandes diferenças estão no funcionamento da hipófise, que funciona várias vezes mais quando o ciclismo faz parte da sua rotina. E a hipófise é responsável pela produção de endorfinas. 

O que as endorfinas fazem em nosso corpo?

Pois bem, elas são responsáveis ​​por gerar um estado de bem-estar e até euforia. Ou seja, em suma, eles são os responsáveis ​​pelo seu estado de felicidade. Parece romântico, mas é ciência: a bicicleta traz felicidade. 

Isso não nos surpreende, pois já era algo que suspeitávamos.

© Scott