Em uma das regiões mais secas do Brasil encontra-se a cidade de Cabaceiras-PB, distante 180 km de João Pessoa. Seus roteiros turísticos atraem turistas brasileiros e estrangeiros e são ótimos para a prática do cicloturismo rural, para aqueles que querem se aventurar com as magrelas.

Localizada numa das mais secas regiões do Brasil, a cidade de Cabaceiras é hoje a coqueluche do turismo rural na Paraíba. Trata-se de um município tranquilo, com cinco mil moradores, onde todo o mundo tem um pouco de artista e algo a dizer por meio da força criativa.

Ali, em meio à caatinga seca e retorcida, roteiros turísticos de extrema beleza atraem brasileiros e estrangeiros dispostos a desvendar os segredos escondidos nas trilhas e rochas da região. Além de todos os destinos turísticos, como o já famoso Lajedo de Pai Mateus, a própria cidade de Cabeceiras é um destino cheio de atrativos. A arquitetura do século passado nos faz voltar no tempo com suas casas de cores alegres.

© Paulo de Tarso

O cenário é tão original que a cidade já foi escolhida par assediar pelo menos 30 produções cinematográficas, sendo que a mais conhecida é o filme O Auto da Compadecida. Por ser um “estúdio a céu aberto”, a cidade foi batizada de Roliúde Nordestina, identificação que foi colocada bem na entrada da cidade em um morro, quase como na famosa Hollywood americana… A Igreja Matriz é um dos lugares destacados no filme e merece uma visita. É em Cabaceiras, também, que se realiza a Festa do Bode Rei, um evento que atrai centenas de visitantes e coloca a cidade definitivamente no circuito nacional.

Coisa de Cinema é pedalar por lá, no sertão, em meio a singletracks, estradinhas espetaculares onde a caatinga tem características diferentes de outras regiões do Nordeste: em vez da planície comum nesse tipo de bioma, há montes, áreas de lajedo e muitas rochas. Um imenso mar de granito se destaca na paisagem, com dezenas de blocos que há milhares de anos serviu de habitat para os índios que deixaram suas marcas.

Você também vai estar em contato direto com a encantadora cultura poética e romântica desse povo hospitaleiro, humilde, trabalhador e incomensuravelmente rico na preservação de seus costumes, tudo isso de bicicleta! Mas é importante sair para pedalar bem cedo, pois a região tem o menor índice pluviométrico do Brasil e é muito quente.

© Paulo de Tarso

Onde é

Na Região Nordeste, entre o Rio Grande do Norte (ao Norte), Pernambuco (ao sul) e Ceará (a oeste), próximo à cidade de Campina Grande (PB).

© Paulo de Tarso

Como chegar

João Pessoa recebe voos das principais capitais brasileiras e é o ponto de partida obrigatório para uma viagem para a Paraíba. A outra opção é pegar um voo até Campina Grande. De carro ou de ônibus, chega-se a todas as regiões do estado. A BR-230, que vai do Ceará, é a principal via de acesso ao interior passando por Campina Grande. De lá saem diversas estradas estaduais rumo ao sertão.

© Paulo de Tarso

Onde ficar

Hotel Fazenda Pai Mateus – www.paimateus.com.br – Para percorrer as trilhas locais, somente com guia do hotel.

Melhor época

De abril a julho, até o sertão permanece boa parte do tempo com o céu carrancudo, mesmo que não caia uma gota de água. O resto do ano, como é de lei no Nordeste, é sol seguro.

© Paulo de Tarso

Dicas

Pedalar no sertão sob um sol escaldante não é fácil. O ideal é acordar bem cedo, às seis horas da manhã e sair para pedalar enquanto o sol está fraco.

Se for de avião a melhor opção é viajar sempre pela TAM, é a companhia que cuida melhor das bicicletas, além disso, é permitido levar a bicicleta montada.

© Paulo de Tarso

Quem leva

Sampa Bikers – www.sampabikers.com.br